Pressione ESC para fechar


0

Turnover: o que é, impacto e como calcular

Dentro de qualquer empresa, a rotatividade é um processo natural. Em Recursos Humanos, este processo recebe o nome de turnover. A quantidade de funcionários que saem e entram de uma organização somente chama a atenção quando é elevada.

Em um país como o Brasil, que há décadas enfrenta altas taxas de desemprego, os índices de turnover também são surpreendentes. Uma pesquisa global da Robert Half realizada em parceria com o DIEESE aponta que o turnover de colaboradores aumentou em 82% das empresas desde 2010, um índice duas vezes maior do que a média mundial, que foi de 38%.

Assim, a rotatividade empregatícia é um desafio para o empresariado brasileiro. Você pode não saber, mas o turnover gera não somente mais custos de demissões e contratações, como também interfere no crescimento das organizações como um todo.

Para entender como o turnover afeta a aderência dos profissionais aos cargos no Brasil, é preciso, antes de tudo, conhecer mais a fundo esse conceito.

Em seguida, é preciso entender como controlar o turnover, já que existe uma fórmula para calcular o índice ideal nas empresas.

Todavia, como este conceito vem sendo discutido há algum tempo, existem, atualmente, formas de calcular um turnover aceitável. Do mesmo modo, devido à vasta gama de artigos sobre o tema, é possível enumerar algumas ações para reduzir a rotatividade nas empresas.

Por fim, é importante refletir sobre qual é o impacto do turnover nas organizações, as causas e consequências e como agir em casos de números alarmantes em sua empresa.

Siga os tópicos:

  • O que é turnover?
  • Quais são os tipos de turnover?
  • Como calcular o turnover ou índice de rotatividade?
  • Como reduzir o turnover?
  • Impactos do turnover nas empresas
  • Conclusão

    Boa leitura!

    O que é turnover?

    Turnover, ou rotatividade, é um conceito que carrega consigo o significado da renovação. Atualmente, inclusive, é assim que ele tem sido pensando nos departamentos de recursos humanos. O significado é bastante amplo, mas tem a ver com injetar novos talentos em uma empresa, abrindo mão de perfis antigos.

    Em outras palavras, o turnover é a quantidade de funcionários que são demitidos e contratados em um determinado período de tempo. Esta métrica permite analisar a capacidade da empresa de ser atrativa para os colaboradores e, em última análise, também para os consumidores.

    O que causa um alto índice de rotatividade?

    As causas para um alto índice de rotatividade em uma empresa são várias, e vão desde a percepção de um salário incompatível com o mercado até crises financeiras vividas pela própria companhia.

    Um dos principais motivos para um alto índice de turnover, como você deve imaginar, é a falta de saúde mental no trabalho.

    Agora, considere o mundo pós-pandemia e a maneira que isto afetou as pessoas e suas relações trabalhistas. Em um país que, de acordo com a OMS, é o quinto com o maior índice de ansiedade do mundo, com certeza a saúde mental precária é um fator que impacta negativamente nos índices de rotatividade nas empresas.

    Nesse sentido, é possível citar a saúde mental deficiente como uma das maiores razões do desligamento voluntário das empresas. Existem também motivos de desligamento involuntário.

    Uma análise mais profunda de ambos é o que se segue.

    Rotatividade voluntária e rotatividade involuntária: qual a diferença?

    Os motivos voluntários de rotatividade incluem falta de oportunidades de crescimento e desenvolvimento profissional, incompatibilidade entre descrição do cargo e as funções, instabilidade no emprego, falta de motivação e reconhecimento da liderança e salários e pacotes de benefícios insatisfatórios.

    Por exemplo, sobre salários, um dado interessante mostra uma discrepância muito grande em relação aos salários femininos no Brasil. Segundo o IBGE, no país, as mulheres ainda ganham 20,5% menos que homens mesmo exercendo o mesmo cargo.

    Já no turnover involuntário, estão as questões como as crises financeiras vividas pela empresa, baixa performance do trabalhador, quebra de cláusulas contratuais ou conflitos com colegas.

    Sendo assim, basicamente, o turnover voluntário parte do trabalhador. Já o involuntário tende a partir da empresa.

    Quais são os tipos de turnover?

    De fato, existem quatro tipos de turnover. Conheça a seguir.

    • Turnover funcional: o funcionário insatisfeito percebe que não está realizando um bom trabalho e pede demissão. Neste caso, a empresa ganha, pois poupa dinheiro com o desligamento e contrata um novo profissional;
    • Turnover disfuncional: aqui, um profissional de alto desempenho pede desligamento, geralmente por receber melhores propostas. Em outras palavras, o prejuízo é da empresa, que perde um talento;
    • Turnover voluntário, já explicado acima;
    • Turnover involuntário, também já descrito.

    O que é controle de turnover?

    O que de fato pode prejudicar um negócio é um alto índice de rotatividade. Por isso, o controle de turnover é necessário. Ele significa estratégias de retenção de funcionários, em um clima organizacional que seja saudável e positivo para todos.

    O que significa baixo turnover?

    Quando uma empresa apresenta baixos índices de turnover, significa que sua rotatividade é pequena.

    Em geral, isso é positivo e indica companhias onde os trabalhadores são bem remunerados, percebem um clima organizacional saudável, têm uma boa relação com a liderança e os colegas e possuem planos de carreira bem definidos.

    Todavia, os índices de afastamento pequenos podem esconder um comodismo dos funcionários. Neste caso, é necessário que a organização investigue se não existe necessidade de incentivo para promover uma oxigenação da cultura da empresa.

    O que significa alto turnover?

    Já um turnover alto é indicativo de empresas cuja insatisfação é a marca na relação com os colaboradores.

    Além disso, uma baixa retenção de material humano pode causar diversos prejuízos a uma companhia, como aumento de gastos, declínio de capital intelectual, diminuição no volume de negócios e perda de know-how. E, sejamos honestos, ninguém quer isso em sua empresa.

    Por isso, é muito importante saber como calcular o índice de turnover, como iremos comentar a seguir.

    Como calcular o turnover ou índice de rotatividade?

    Para calcular o índice de rotatividade, existe uma fórmula simples.

    As variáveis são: número de admissões, número de demissões e o total de funcionários da empresa. A partir desses valores é preciso somar a quantidade de entradas e saídas, dividir por 2 e o resultado deverá ser dividido pela quantidade total de funcionários. Então, para obter a porcentagem, multiplica-se o resultado por 100.

    Assim, se uma empresa com 100 funcionários contrata 15 novos colaboradores e demite 7 em um ano, o cálculo fica:

    15 + 7 / 2 / 100 = 0,11 x  100 = 11% de turnover no período.

    Porém, você deve estar se perguntando: como interpretar este resultado? Será que uma taxa alta é sempre negativa e uma taxa baixa, sempre positiva?

    Não necessariamente. Existem ocasiões em que uma alta taxa de turnover é desejada. Por exemplo, quando a empresa está em fase de downsizing (redução estratégica do seu tamanho).

    Do mesmo modo, baixas taxas de desligamentos constantes podem significar estagnação de funcionários, o que também não é positivo.

    O que é turnover ideal?

    Quando é feita uma pesquisa de artigos sobre o turnover ideal, frequentemente chega-se ao índice de 10% como sendo o mais recomendado.

    É preciso avaliar individualmente a realidade de cada empreendimento para falar em retenção ideal. Contudo, o mais realista seria considerar o turnover aceitável.

    O que é turnover aceitável?

    O turnover aceitável de uma empresa é quando existe uma taxa de rotatividade, porém ela exclui os casos que são inevitáveis.

    Exemplos disso são as aposentadorias, falecimentos, doenças de funcionários e demissões já previstas.

    Importância do cálculo do turnover

    A importância do cálculo do turnover está no fato de saber que a empresa está no caminho certo e os funcionários estão satisfeitos.

    Inclusive, nem sempre os melhores colaboradores apresentam um alto desempenho. Muitos funcionários com performance mediana são importantes por serem engajados, e estes necessitam de incentivo para permanecer na empresa. Com certeza a sua empresa tem casos assim.

    Portanto, o índice de turnover desses profissionais pode ajudar a entender melhor as condições de trabalho, como: desafios capazes de aumentar a motivação, pacote de benefícios, qualidade da liderança, entre outros.

    Como reduzir o turnover?

    É importante destacar que o turnover por si só não é algo negativo. Ele significa uma oxigenação natural no quadro de funcionários da empresa.

    Porém, se existem taxas altas de evasão de funcionários, é necessário trabalhar para reduzir o turnover.

    Uma das maneiras de fazer isso é investir na cultura organizacional. Isso porque a identificação do funcionário com a empresa é um fator importante de retenção.

    Assim, quando o colaborador sente-se acolhido em um ambiente que promove a diversidade, a colaboração e o aprendizado, tende a permanecer nele.

    5 ações para reduzir a rotatividade na sua empresa

    Lendo até aqui, você já deve ter uma ideia se sua empresa apresenta índices altos de rotatividade. Temos algumas sugestões de como isso pode diminuir:

    1. Constatar as causas do turnover: investigue a fundo, inclusive conversando com os funcionários que pediram demissão;
    2. Oferecer oportunidades de crescimento: seja de treinamento, promoções internas, cursos fora, etc;
    3. Reconhecer o bom trabalho e dar feedback sempre;
    4. Aumentar o pacote de benefícios: mas que sejam benefícios reais. Há algum tempo vale alimentação e plano de saúde não são considerados mais benefícios suficientes;
    5. Criar uma boa cultura organizacional: aumente a comunicação positiva, promova a união.

    Impactos do turnover nas empresas

    As demissões e contratações geram custos, isso é lógico. Mas não é somente por esta razão que um alto índice de turnover gera impacto negativo nas empresas, como já afirmamos.

    Em primeiro lugar, imagine uma equipe órfã com a perda de um membro importante. Imagine com vários. Portanto, o abalo produtivo é  uma consequência de um alto turnover.

    Do mesmo modo, se a saída de funcionários estiver relacionada à insatisfação, a gestão terá dificuldades de lidar com quem ficou na empresa.

    Mas, falando estritamente de finanças, o prejuízo é realmente significativo. Dados do relatório do Workforce Institute comprovam que o custo médio do turnover para as empresas norte-americanas é de um terço do salário anual de cada colaborador desligado.

    Assim, considerando a renda média dos profissionais, o instituto estimou um prejuízo de 15 mil dólares por demissão e um custo total de US$ 617 bilhões nos EUA somente em 2018. Uma projeção até 2023 avaliou um prejuízo de US$ 800 bilhões.

    O que as taxas de absenteísmo podem revelar sobre o turnover?

    Você pode imaginar que o absenteísmo tenha muito a ver com as taxas altas de turnover. E é isso mesmo. Afinal de contas, os funcionários geralmente buscam crescer com a empresa. Quando não percebem que isso acontece, não veem mais sentido estar presentes lá.

    Do mesmo modo, o absenteísmo mede a falta de assiduidade dos colaboradores ao trabalho. Estas faltas podem se dar por vários motivos, sejam atrasos, doenças ou mesmo insatisfação com o ambiente e condições de trabalho. Neste último caso, em especial, é que o absenteísmo apresenta uma relação direta com o turnover.

    No entanto, existem algumas maneiras de as empresas controlarem as taxas de absenteísmo

    Por exemplo, ao ter um controle de ponto eletrônico, a empresa pode verificar as taxas de ausência. Se forem altas, é possível avaliar o clima organizacional e assim, tomar medidas para reverter o quadro.

    Lembrando que a Ponto Icarus tem um aplicativo de controle de jornada mais completo do mercado. Nosso Registro de Ponto Online Icarus utiliza recursos de geolocalização e reconhecimento facial com a melhor tecnologia disponível.

    Conclusão

    Assim como os salários incompatíveis com o mercado, o estresse dos colaboradores, desmotivação, problemas com a liderança, conflitos internos, bem como a ausência de plano de carreira, são alguns dos fatores que causam o turnover.

    As diferenças entre os tipos de rotatividade foram apresentadas, assim como a importância do controle de turnover.

    Além disso, você aprendeu sobre baixo e alto turnover, e como calcular a taxa de rotatividade de sua empresa.  Já sabe que com o índice obtido é possível analisar onde a organização está errando ou acertando e, com isso, prever formas de mudar, ou continuar como está.

    Contudo, tivemos a discussão sobre o impacto do turnover nas empresas. Você sabe agora que ele é mais do que financeiro e pode atingir a produtividade e também a gestão.

    Por fim, discutimos a relação do absenteísmo com a rotatividade, que é estreita. Sugerimos ainda uma medida de controle de jornada para registrar melhor as ausências em seu empreendimento e, como consequência, diminuir o turnover.

    Sendo assim, chegou o momento de discutir sobre o turnover em sua empresa. Reúna-se com seu Departamento de Recursos Humanos e com seus funcionários e esteja aberto a ideias. Todavia, invista em valorização, políticas igualitárias, seja transparente. Você, sua organização e seus funcionários só têm a ganhar!

  • Deixe um comentário