Décimo Terceiro Salário: tudo que precisa saber!

O décimo terceiro salário é um direito garantido por lei aos trabalhadores com carteira assinada. Esse benefício surgiu em 1962, com a Lei 4.090, também conhecida como Gratificação de Natal. Seu objetivo era estimular o consumo durante as festividades natalinas, impulsionando a economia e contribuindo para o comércio.

Quem Tem Direito ao Décimo Terceiro Salário?

Diversos tipos de trabalhadores têm direito ao décimo terceiro salário, desde rurais e urbanos até avulsos e domésticos. Para receber esse benefício, é necessário ter trabalhado por pelo menos 15 dias com carteira assinada no ano corrente. Além disso, aqueles que foram demitidos sem justa causa, afastados devido a auxílio-doença com contrato suspenso ou afastados por acidente de trabalho também têm direito ao décimo terceiro salário.

Pagamento do Décimo Terceiro Salário

O pagamento do décimo terceiro salário é dividido em duas parcelas. A primeira parcela deve ser depositada entre 1º de fevereiro e 30 de novembro e corresponde à metade do benefício, sem descontos. Já a segunda parcela, que contém os descontos de Imposto de Renda, INSS e FGTS, deve ser paga até o dia 20 de dezembro.

É importante ressaltar que, em caso de demissão por justa causa, o trabalhador perde o direito ao décimo terceiro salário. No entanto, em caso de rescisão sem justa causa, o décimo terceiro deve ser pago ao colaborador como parte da rescisão do contrato.

Como Calcular o Décimo Terceiro Salário?

Para calcular o décimo terceiro salário, é necessário seguir alguns passos simples. Primeiro, descubra o salário bruto, que é o valor total antes dos descontos de impostos e contribuições. Esse valor é calculado com base no salário de dezembro, levando em consideração qualquer aumento ou variação durante o ano.

Em seguida, determine quantos meses o colaborador trabalhou no ano. Se ele trabalhou o ano inteiro, são 12 meses. Caso tenha começado em abril e saído em novembro, por exemplo, foram 8 meses completos.

Agora, divida o salário bruto por 12 e multiplique pelo número de meses trabalhados. Esse será o valor bruto do décimo terceiro salário. Por exemplo, se alguém ganha R$ 2.000 por mês e trabalhou 8 meses, o décimo terceiro bruto será de R$ 2.000 / 12 x 8 = R$ 1.333,33.

Após calcular o valor bruto, é necessário identificar os descontos aplicados no décimo terceiro salário, como Imposto de Renda (IR), Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os valores dos descontos dependem da faixa salarial e da tabela vigente no ano.

Por fim, subtraia os descontos do valor bruto do décimo terceiro salário para obter o valor líquido que o colaborador receberá.

Como Gerenciar as Horas Extras no Cálculo do Décimo Terceiro Salário?

Para gerenciar as horas extras adequadamente no cálculo do décimo terceiro salário, é fundamental ter um sistema de ponto eletrônico em sua empresa. Esse sistema assegura o registro automático das horas trabalhadas pelos funcionários, permitindo um cálculo preciso do benefício.

Ao utilizar um sistema de ponto eletrônico, é possível acompanhar quantos meses e dias cada funcionário trabalhou no ano, identificar faltas, atrasos, horas extras, adicionais, férias e licenças. Esses dados são fundamentais para calcular o valor do décimo terceiro salário de forma precisa.

Além disso, o sistema de ponto eletrônico simplifica o cumprimento das obrigações trabalhistas e previdenciárias, reduzindo o risco de multas e processos judiciais. Ele também pode ser integrado com outros sistemas de gestão de recursos humanos, como folha de pagamento, benefícios, atração e seleção, e treinamento, otimizando os processos e reduzindo os custos operacionais.

Caso sua empresa não possua um sistema de ponto eletrônico, é possível fazer o cálculo manualmente, incluindo as horas extras. Some as horas extras acumuladas até o fim do mês, divida esse total por 12 e multiplique pelo valor da hora extra. Em dezembro, repita o cálculo para o pagamento da segunda parcela, incluindo as horas extras de novembro. Em janeiro, revise os cálculos para pagar o trabalho extra de dezembro que não entrou na segunda parcela.

Inclusão de Comissões e Outras Gratificações no Cálculo do Décimo Terceiro Salário

A regra geral para o cálculo do décimo terceiro salário é que ele seja proporcional à remuneração integral do trabalhador, incluindo todas as parcelas de natureza salarial que ele recebe habitualmente. Portanto, as comissões e gratificações que fazem parte da remuneração devem ser somadas ao salário fixo para calcular o décimo terceiro salário.

No entanto, como esses valores podem variar de mês a mês, é preciso fazer uma média aritmética dos últimos 12 meses trabalhados para obter o valor base do décimo terceiro salário. Por exemplo, se um trabalhador recebeu R$ 2.000 de salário fixo e R$ 500 de comissão em janeiro, R$ 2.000 de salário fixo e R$ 800 de comissão em fevereiro, e assim por diante, até dezembro, é necessário somar todos os valores recebidos nos 12 meses e dividir por 12 para obter a média.

Supondo que a soma dos valores recebidos nos 12 meses foi de R$ 36.000, a média será de R$ 3.000. Esse será o valor base do décimo terceiro salário do trabalhador. Para calcular o valor líquido do décimo terceiro salário, é preciso descontar os encargos sociais, como INSS e Imposto de Renda.

Vale lembrar que as comissões e gratificações devem ser pagas com o salário de cada mês, e não acumuladas para o final do ano.

Deduções e Descontos no Décimo Terceiro Salário

O INSS é a contribuição previdenciária que o trabalhador paga mensalmente para garantir seus direitos à aposentadoria, pensão, auxílio-doença, entre outros. O valor do INSS é calculado sobre o salário bruto do trabalhador, ou seja, sem nenhum desconto.

A alíquota do INSS varia de acordo com a faixa salarial do trabalhador, sendo de 7,5% para aqueles que ganham até R$ 1.320,00, 9% para quem ganha entre R$ 1.320,01 e R$ 2.571,29, 2% para os que ganham entre R$ 2.571,30 e R$ 3.856,94, e 14% para quem ganha de R$ 3.856,95 até R$ 7.507,29.

O imposto de renda retido na fonte é o tributo que o trabalhador paga sobre seus rendimentos, como salários, aluguéis, pensões, entre outros. O valor do imposto de renda é calculado sobre a base de cálculo do trabalhador, que é o salário bruto menos o INSS e as deduções permitidas pela lei, como dependentes, educação, saúde, etc.

A alíquota do imposto de renda varia de acordo com a base de cálculo do trabalhador, sendo de:

  • 7,5% para quem ganha de R$ 2.112,01 até R$ 2.826,65
  • 15% para quem ganha de R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05
  • 22,5% para quem ganha de R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68
  • 27,5% para quem ganha acima de R$ 4.664,68.

Esses descontos são aplicados somente na segunda parcela do décimo terceiro salário. Portanto, ao calcular o valor líquido do décimo terceiro salário, é preciso subtrair o valor do INSS e do imposto de renda do valor bruto.

Gestão Eficiente do Décimo Terceiro Salário

A gestão eficiente do décimo terceiro salário é fundamental tanto para as empresas quanto para os funcionários. Esse benefício é importante para o planejamento financeiro de todos, e sua gestão correta evita problemas e prejuízos.

A tecnologia pode ser uma aliada nesse processo, simplificando e tornando a administração do décimo terceiro salário mais eficiente. Com um sistema automatizado, é possível evitar erros e atrasos, garantindo que os valores sejam calculados corretamente e que os pagamentos sejam feitos nos prazos estabelecidos.

Além disso, a tecnologia facilita a integração com outros sistemas de gestão de recursos humanos, como folha de pagamento e benefícios, proporcionando uma otimização dos processos e redução dos custos operacionais.

Um exemplo de ferramenta que oferece todos esses benefícios é o Ponto Icarus, um sistema completo para a gestão de ponto e fornecimento de relatórios precisos. Com o Ponto Icarus, sua empresa economiza tempo e dinheiro, além de garantir a conformidade com as leis trabalhistas e fiscais.

O décimo terceiro salário é um direito garantido por lei aos trabalhadores com carteira assinada. Seu cálculo e pagamento devem ser realizados de acordo com as regras estabelecidas, para evitar problemas trabalhistas e garantir o cumprimento correto dessa obrigação.

A gestão eficiente do décimo terceiro salário é fundamental para as empresas e os funcionários. Utilizar a tecnologia, como o Ponto Icarus, pode simplificar e otimizar esse processo, garantindo a precisão, a confiabilidade e a conformidade no pagamento desse benefício tão importante, fale conosco hoje mesmo e garanta um teste de 14 dias de teste do sistema para o seu RH e DP.

As ausências no ambiente de trabalho são eventos corriqueiros que podem ocorrer por uma variedade de razões, sejam elas de natureza pessoal, profissional ou relacionadas à saúde. Lidar com essas situações requer uma abordagem organizada e transparente, tanto para garantir que os colaboradores tenham a oportunidade de explicar suas ausências legítimas quanto para que as empresas possam manter a continuidade das operações. É aí que entram em cena os formulários de justificativa de ausência, desempenhando um papel essencial na gestão de recursos humanos. Esses documentos não apenas fornecem um meio estruturado para registrar as razões por trás das ausências, mas também estabelecem um canal de comunicação eficaz entre a equipe e o departamento pessoal. Dessa forma, as empresas podem assegurar a conformidade com a legislação trabalhista, a equidade no tratamento dos colaboradores e a eficiência na alocação de recursos, beneficiando tanto empregadores quanto funcionários. Vamos explorar detalhadamente por que esses formulários desempenham um papel tão crucial nesse processo.

Base Legal

A CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) estabelece diretrizes claras para justificar as faltas dos colaboradores. De acordo com o artigo 473 da CLT, o colaborador tem direito a se ausentar do trabalho por motivos de:

  • Doença comprovada;
  • Falecimento de cônjuge, ascendente, descendente, irmão ou pessoa que viva na sua dependência econômica;
  • Alistamento militar;
  • Convocação para júri ou serviço militar;
  • Exercício de cargo de direção ou representação de entidade sindical;
  • Licença à gestante, à adotante e paternidade;
  • Exercício de atividade por conta própria;
  • Falta justificada ao serviço por motivo de crença religiosa ou convicção filosófica;
  • Desempenho de mandato classista;
  • Acidente de trabalho ou enfermidade profissional;
  • Acidente de trajeto;
  • Motivo de força maior;
  • Para acompanhar filho menor até 14 anos em consulta médica.

Além dos motivos previstos na CLT, as empresas podem permitir outras ausências, como:

  • Faltas para exames médicos;
  • Faltas para doação de sangue;
  • Faltas para participar de congressos ou eventos profissionais;
  • Faltas para prestar assistência a familiares doentes;
  • Faltas para realizar cursos ou treinamentos.

O Preenchimento do Formulário

O formulário de justificativa de ausência deve ser preenchido de maneira completa e precisa. É crucial fornecer todas as informações necessárias, como nome, data da ausência, motivo e quaisquer documentos comprobatórios.

No caso de ausências por motivo de saúde, o colaborador deve apresentar atestado médico, que deve conter as seguintes informações:

  • Nome do colaborador;
  • Data do atestado;
  • Diagnóstico;
  • Período de afastamento;
  • Assinatura e carimbo do médico.

No caso de ausências por outros motivos, o colaborador deve apresentar documentos comprobatórios, como:

  • Atestado de óbito;
  • Notificação de convocação judicial;
  • Comprovante de participação em congresso ou evento profissional;
  • Comprovante de realização de curso ou treinamento.

Comunicando a Ausência

A comunicação é a chave para garantir que o processo de justificativa de ausência seja eficaz. Colaboradores devem informar ao empregador ou ao departamento de recursos humanos o motivo de sua ausência com antecedência sempre que possível. Isso permite que a empresa tome as medidas necessárias para minimizar os impactos da ausência, como a redistribuição de tarefas.

Análise e Decisão

O departamento pessoal é responsável por analisar as justificativas de ausência. Eles verificarão se a documentação está em ordem e se o motivo apresentado é válido. Com base nessa análise, a decisão de aprovar ou recusar a justificativa é tomada.

Registros e Arquivamento

Manter registros adequados de todas as justificativas de ausência é fundamental para a empresa. Isso ajuda a cumprir suas obrigações legais e a evitar disputas futuras. Tanto as justificativas aprovadas quanto as recusadas devem ser documentadas.

Por que isso é Importante?

A importância do formulário de justificativa de ausência do colaborador reside em estabelecer um processo claro e transparente para lidar com ausências no ambiente de trabalho. Isso beneficia tanto a empresa quanto seus colaboradores.

Para a Empresa: O processo ajuda a cumprir a legislação trabalhista, evita descontos indevidos nos salários, permite o planejamento de recursos e mantém a organização do trabalho.

Para os colaboradores: A existência desse processo oferece segurança e transparência. Os colaboradores sabem o que é esperado deles e têm um canal para explicar suas ausências legítimas.

Como a Ponto Icarus pode ajudar?

Imagine não mais se preocupar com a burocracia da documentação e formato. Com a ajuda do nosso aplicativo, seus colaboradores podem fazer a solicitação diretamente na plataforma, simplificando o processo tanto para eles quanto para você no DP e Recursos Humanos, sem necessidade de ter documentos arquivados e mantidos sob vigilância. Além disso, todos os registros são arquivados na nuvem, proporcionando segurança e facilidade de acesso. Clique aqui para descobrir mais funcionalidades do nosso sistema e simplificar ainda mais a gestão de recursos humanos da sua empresa, e aproveite 14 dias gratuitamente para testar o sistema, fale agora pelo whatsapp e não perca essa oportunidade!

A cooperação entre colaboradores e departamento pessoal, baseada em políticas claras e na legislação trabalhista, é essencial para criar um ambiente de trabalho harmonioso e produtivo. Cada empresa pode adaptar seu processo de justificativa de ausência de acordo com suas necessidades, mas a base legal da CLT serve como guia fundamental para garantir que as práticas sejam justas e equitativas.

As festas de fim de ano são momentos de celebração e confraternização mas independente da área de atuação, organizar as escalas de trabalho dos funcionários durante o período de fim de ano pode ser desafiador. Devido a essas datas comemorativas, as empresas começam a se organizar para que tudo saia como o planejado, que podem incluir a concessão de férias coletivas e a criação de escalas de trabalho diferenciadas para acomodar a demanda e permitir que todos os colaboradores desfrutem das festividades sem deixar os clientes desatendidos.

Compreendendo a Necessidade das Escalas de Trabalho

Uma das dúvidas mais comuns entre os empregadores nessa época do ano é: como montar uma escala de trabalho eficiente? Essa pergunta é completamente compreensível, considerando que existem diversos modelos de escalas de trabalho disponíveis, e pode ser desafiador entender o funcionamento de cada um.

Para simplificar, é importante entender o conceito de escala de trabalho e como ele difere da jornada de trabalho. A jornada de trabalho representa o tempo que um colaborador deve prestar serviço à empresa. De acordo com a legislação trabalhista, uma jornada de trabalho normal é de 8 horas por dia, com um limite de 44 horas semanais ou 220 horas mensais.

A escala de trabalho, por outro lado, refere-se à maneira como essas horas são distribuídas ao longo dos dias, semanas e meses. É somente após definir quantas horas o colaborador estará à disposição da empresa que você pode começar a explorar diferentes tipos de escalas de trabalho, garantindo que não ultrapasse o limite de 44 horas semanais.

Aqui estão alguns exemplos comuns de escalas de trabalho adotadas no Brasil:

Escala 5X1

A escala 5X1 é amplamente utilizada por empresas de telemarketing. Nesse modelo, os funcionários trabalham durante 5 dias consecutivos e folgam 1 dia, mantendo-se em serviço durante os finais de semana. No entanto, de acordo com o artigo 386 da CLT, os homens que seguem essa escala devem ter pelo menos um domingo de folga por mês, enquanto as mulheres devem ter dois domingos de repouso mensais. A jornada de trabalho nesse caso deve ser de 7 horas e 20 minutos.

Escala 24×7

Embora o termo “24×7” não seja uma escala oficialmente reconhecida pela legislação trabalhista, ele se refere a profissionais que estão constantemente ligados à empresa, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Essa expressão é frequentemente associada a executivos que estão disponíveis a qualquer momento, independentemente de estarem no escritório ou não.

Escala 6X1

A escala 6X1 estabelece que a cada 6 dias de trabalho, o colaborador deve ter 1 dia de folga. Por exemplo, um colaborador pode começar sua escala em uma terça-feira e folgar na terça-feira da semana seguinte. Para aqueles que trabalham aos fins de semana, a empresa deve garantir um domingo de folga a cada 7 semanas. A carga horária nesse caso deve seguir as regras da CLT: 8 horas por dia e 44 horas semanais. É importante lembrar que jornadas de trabalho não compensadas aos domingos e feriados precisam ser remuneradas em dobro.

Escala de Revezamento

A escala de revezamento, também conhecida como turno ininterrupto, é um modelo que permite que a empresa funcione sem pausas, com equipes que cumprem horários variados divididos entre manhã, tarde e noite. Essa abordagem é comum em setores industriais. De acordo com a Constituição Federal, a jornada diária em turnos deve ser de no máximo 6 horas por dia, totalizando 36 horas semanais. O planejamento dessa escala deve respeitar as regras estabelecidas pelas leis trabalhistas.

Como Montar Escalas de Trabalho Eficientes

Para criar escalas de trabalho eficientes, é importante seguir alguns passos essenciais:

  • Consulte convenções ou acordos coletivos com sindicatos.
  • Relacione os colaboradores por carga horária (4h, 6h ou 8h de trabalho).
  • Identifique as necessidades da empresa e os períodos de sazonalidade.
  • Utilize um sistema de controle de ponto para gerenciar as escalas.
  • Distribua os funcionários por cargos e setores.
  • Revise a escala de trabalho para garantir a cobertura completa dos turnos e horários de atendimento.

Desafios Comuns Durante o Fim de Ano

Durante o período de fim de ano, diferentes setores enfrentam desafios específicos ao organizar as escalas de trabalho, vamos falar dos mais conhecidos aqui, mas que podem servir para outros setores não listados neste artigo:

Escalas em Hotéis

Uma das principais dúvidas trabalhistas relacionadas a hotéis durante o período de festas de fim de ano é sobre as jornadas de trabalho dos funcionários. A CLT se aplica a todos os setores, incluindo o setor hoteleiro, e os hotéis devem respeitar o limite de 44 horas semanais de trabalho.

A Reforma Trabalhista introduziu a possibilidade de contratar trabalhadores intermitentes, o que permite contratar pessoas para trabalhos esporádicos e pagar por hora, com base no salário-base da categoria. Os gestores de hotéis precisam organizar as escalas de trabalho de acordo com as opções permitidas pela CLT.

Escalas em Supermercados

Supermercados são estabelecimentos que recebem clientes constantemente, com demanda crescente durante as festas de fim de ano. Para atender a esse aumento, supermercados geralmente contratam mais funcionários. No entanto, criar escalas de trabalho que garantam cobertura suficiente em horários de pico sem criar lacunas em outros turnos pode ser um desafio.

Assim como em qualquer empresa, os supermercados devem cumprir as leis trabalhistas ao criar escalas, garantindo que a duração do trabalho não ultrapasse o limite permitido.

Escalas em Lojas

As lojas de varejo também enfrentam desafios semelhantes ao organizar escalas de trabalho durante o período de fim de ano. É importante lembrar que as leis trabalhistas se aplicam a todas as empresas, e os lojistas devem respeitar os prazos estabelecidos pela legislação trabalhista.

As escalas de trabalho em lojas geralmente são projetadas para atender às necessidades da empresa e, ao mesmo tempo, garantir o descanso e repouso semanal dos funcionários. A escolha da escala deve ser feita de acordo com os padrões de funcionamento da loja.

Escalas na área da saúde

A área da saúde é um setor essencial, que deve estar preparada para atender às necessidades da população em qualquer momento, inclusive durante o período de fim de ano. Nesse período, as escalas de trabalho podem ser um desafio, pois a demanda por serviços de saúde pode aumentar, devido a fatores como acidentes, doenças relacionadas a festas e comemorações, e até mesmo estresse e ansiedade causados pela correria do fim de ano.

Para garantir o atendimento adequado aos pacientes, as instituições de saúde devem planejar com antecedência as escalas de trabalho para esse período. É importante considerar os seguintes fatores:

  • Demanda: É preciso estimar a demanda por serviços de saúde durante o fim de ano, para definir a quantidade de profissionais necessária.
  • Especialidades: É importante considerar as especialidades médicas que são mais demandadas durante o fim de ano, para garantir que haja profissionais suficientes para atender a essa demanda.
  • Plantões: Os plantões devem ser distribuídos de forma a garantir que haja cobertura suficiente para atender às necessidades dos pacientes, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Descanso: É importante garantir que os profissionais tenham tempo suficiente de descanso entre os turnos, para evitar que fiquem cansados e prejudiquem a qualidade do atendimento.

Além da escala de trabalho, é importante que as instituições de saúde também tenham um plano de contingência para casos de emergência, como surtos de doenças ou acidentes. Esse plano deve definir como as escalas de trabalho serão ajustadas para atender a essa demanda inesperada.

Usando a Tecnologia para Facilitar a Organização de Escalas

Para empresas de serviço, é essencial também avisar seus clientes sobre o período de recesso diferenciado, garantindo que eles saibam a quem procurar caso necessitem de auxílio. Uma ótima prática é deixar os e-mails com resposta automática informando o período de recesso, e direcionando a demanda à quem possa atender no caso de urgência.

Após criar as escalas de trabalho, o desafio é garantir que todos os turnos sejam cumpridos conforme planejado. Controlar as horas de trabalho pode ser demorado, especialmente para empresas que operam com escalas. No entanto, a tecnologia pode simplificar esse processo.

Sistemas de controle de ponto, como o Ponto Icarus, oferecem funcionalidades que otimizam a criação de escalas e o controle de horários dos funcionários. Com essas ferramentas, é possível definir parâmetros, como horários de trabalho e tipos de escalas, além de dias de trabalho e folga. O sistema organiza automaticamente os horários com base nas configurações estabelecidas, teste nosso sistema por 14 dias totalmente gratuito!

Por fim, ao planejar a programação de trabalho para o período de festas de fim de ano, os empregadores devem considerar cuidadosamente suas opções, cumprir as regulamentações da CLT e manter uma comunicação transparente com os funcionários. Uma comunicação eficaz é fundamental para garantir que todos compreendam as decisões tomadas e possam se preparar adequadamente.

Além disso, o uso de sistemas de controle de ponto pode facilitar a organização das escalas de trabalho e garantir o cumprimento dos horários. Desejamos a todos um final de ano tranquilo e um novo período de sucesso e produtividade.

Se você deseja saber mais sobre como o sistema Ponto Icarus pode simplificar a gestão de ponto na sua empresa, fale conosco pelo whatsapp agora mesmo para uma demonstração exclusiva.

A assiduidade no trabalho sempre foi uma preocupação central para empregadores e lideranças. No entanto, com a entrada da Geração Z no mercado de trabalho, vemos uma revolução na forma como as empresas encaram a presença dos colaboradores. A tecnologia, em especial o ponto eletrônico, desempenha um papel crucial na compreensão das tendências desse novo padrão de trabalho.

A Geração Z e o Novo Paradigma do Trabalho

A Geração Z, composta por indivíduos nascidos entre meados dos anos 1990 e início dos anos 2010, traz consigo uma mentalidade única. Eles cresceram em um mundo digital, estão acostumados com a conectividade 24/7 e valorizam a flexibilidade. Essa geração está questionando as normas tradicionais de trabalho, incluindo a ideia de que a assiduidade estrita é a única maneira de medir a produtividade.

Ponto Eletrônico e a Compreensão das Tendências

Nesse cenário, o ponto eletrônico se torna uma ferramenta essencial para a liderança. Ele não apenas registra as horas trabalhadas, mas também permite que as empresas entendam melhor as tendências de presença e ausência. Com a Geração Z, vemos:

  • Flexibilidade de Horários: Os colaboradores desejam maior flexibilidade em seus horários. O ponto eletrônico pode rastrear quando eles estão mais ativos e produtivos, permitindo que a empresa ajuste os horários de trabalho de acordo com as preferências individuais.
  • Trabalho Remoto: A Geração Z valoriza a capacidade de trabalhar remotamente. O ponto eletrônico ajuda a monitorar a produtividade fora do escritório, garantindo que os colaboradores continuem ativos e conectados.
  • Adaptação às Tendências: Com a ajuda de análises de dados geradas pelo ponto eletrônico, as empresas podem se adaptar mais rapidamente às mudanças nas tendências de assiduidade e produtividade, ajustando políticas e práticas de trabalho.

A Evolução da Assiduidade no Trabalho

Nos últimos anos, especialmente no período pós-pandemia, notamos uma mudança significativa nas tendências de assiduidade. A pandemia acelerou a adoção do trabalho remoto e introduziu a ideia de que a produtividade não está necessariamente vinculada à presença física no escritório. De acordo com um estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2021, cerca de 7,3 milhões de brasileiros estavam trabalhando remotamente, o que representava 8,4% da população ocupada.

Essa mudança na dinâmica de trabalho trouxe à tona a importância de medir a assiduidade de maneira mais flexível. A Geração Z se destaca como uma das principais impulsionadoras dessa transformação, defendendo a flexibilidade de horários e a capacidade de trabalhar de qualquer lugar.

Benefícios do Ponto Eletrônico para a Liderança

O ponto eletrônico oferece inúmeros benefícios para a liderança, especialmente ao lidar com a Geração Z:

  • Acompanhamento Preciso: O registro eletrônico fornece um acompanhamento preciso das horas trabalhadas, o que é essencial para garantir que os colaboradores sejam devidamente compensados.
  • Monitoramento Remoto: Com ferramentas de ponto eletrônico acessíveis online, os líderes podem monitorar o trabalho de suas equipes, independentemente de onde estejam, facilitando o gerenciamento do trabalho remoto.
  • Dados para Tomada de Decisão: As informações coletadas pelo ponto eletrônico fornecem dados valiosos para a liderança. Eles podem ajudar a identificar tendências, planejar a força de trabalho de acordo com a demanda e otimizar a eficiência operacional.
  • Adaptação à Geração Z: A Geração Z valoriza a transparência e o uso de tecnologia. A implementação do ponto eletrônico mostra a adaptação da empresa às preferências dessa geração, o que pode aumentar a satisfação e a retenção dos colaboradores.

O Cenário Legal e a CLT

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) estabelece regras rígidas sobre a jornada de trabalho e assiduidade. Ela regula aspectos como horas extras, descanso semanal remunerado, limites de horas diárias e semanais de trabalho, entre outros. No entanto, a CLT também permite que os empregadores e empregados negociem acordos específicos, desde que esses acordos respeitem os limites estabelecidos pela lei.

Por exemplo, a CLT prevê a possibilidade de banco de horas, no qual as horas extras trabalhadas podem ser compensadas com folgas em outros dias. Isso permite maior flexibilidade na gestão da jornada de trabalho, o que está alinhado com a preferência da Geração Z por horários mais flexíveis.

Práticas de Mercado e Penalidades Previstas na CLT

No competitivo mundo corporativo de hoje, a alta assiduidade não é apenas um hábito; é uma vantagem estratégica. Muitas empresas adotam práticas irresistíveis que recompensam a dedicação dos colaboradores, como:

  • Programas de Reconhecimento: Empresas reconhecem e recompensam os colaboradores com alta assiduidade, oferecendo bônus, dias de folga adicionais ou outros benefícios.
  • Flexibilidade de Horários: Muitas empresas permitem horários flexíveis, permitindo que os colaboradores ajustem seus horários de acordo com suas necessidades, desde que cumpram as horas de trabalho estipuladas.
  • Teletrabalho/Trabalho Remoto: O trabalho remoto é cada vez mais comum, permitindo que os colaboradores evitem deslocamentos diários e tenham um melhor equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

Mas, atenção, a CLT é clara: para aqueles que insistem em negligenciar a assiduidade, há penalidades rigorosas em jogo para atrasos e faltas injustificadas, que podem resultar em descontos nos salários. Além disso, a reincidência em atrasos ou faltas injustificadas pode levar a advertências e, em casos mais graves, à rescisão do contrato de trabalho, justificada pelo artigo 482 – alínea ‘e’, a demissão por justa causa, em decorrência de faltas injustificadas, deve ocorrer, com no mínimo, 30 dias de ausência.

A assiduidade no trabalho está evoluindo com a entrada da Geração Z no mercado de trabalho, impulsionada por mudanças nas leis trabalhistas e a revolução tecnológica. A tecnologia, em particular o ponto eletrônico, é fundamental para entender e se adaptar a essas mudanças. A capacidade de monitorar e analisar a presença dos colaboradores não apenas garante a conformidade com as leis trabalhistas, mas também ajuda a criar um ambiente de trabalho mais flexível, produtivo e adaptado às necessidades da Geração Z. A liderança que abraça essa mudança tecnológica estará mais bem preparada para o futuro do trabalho. Com as mudanças recentes na legislação trabalhista, as empresas têm mais liberdade para se adaptar às preferências da Geração Z, tornando o ponto eletrônico uma ferramenta essencial na gestão da força de trabalho. A CLT, embora estabeleça regras rigorosas, também oferece espaço para a flexibilidade necessária para atender às necessidades das gerações mais jovens. Portanto, as empresas podem adotar uma abordagem equilibrada que atenda tanto às regulamentações legais quanto às expectativas dos colaboradores da Geração Z. Não deixe de conferir nossa página de funcionalidades para conhecer como a Ponto Icarus pode te auxiliar na jornada de entender por meio de dados a assiduidade do seu time. 

Recrutar a pessoa certa para uma vaga pode ser um desafio e tanto. Às vezes, as hard skills são facilmente identificáveis nos currículos, pois são habilidades técnicas e conhecimentos específicos relacionados a uma função. No entanto, as soft skills, que envolvem competências interpessoais e comportamentais, são igualmente importantes, porém, muitas vezes mais difíceis de encontrar em um currículo. Neste artigo, exploraremos como os recrutadores podem identificar as soft skills certas nos currículos e a importância de selecionar a pessoa certa no processo de recrutamento.

Identificando Soft Skills nos Currículos

As soft skills são competências não técnicas que desempenham um papel fundamental no sucesso de um candidato em uma vaga. Aqui estão algumas dicas para ajudar os recrutadores a identificar as soft skills desejadas nos currículos:

1. Análise a Seção de Resumo ou Objetivos

A seção de resumo ou objetivos é um ótimo lugar para encontrar pistas sobre as soft skills de um candidato. Eles costumam listar suas principais competências e objetivos profissionais. Procure por palavras-chave como “comunicativo”, “colaborativo”, “liderança”, “resolução de conflitos” e outras que estejam relacionadas às soft skills que você procura.

2. Revise a Seção de Experiência Profissional

A seção de experiência profissional é onde você pode encontrar evidências concretas das soft skills de um candidato. Procure por histórias ou realizações que mostrem como eles aplicaram suas soft skills em situações anteriores. Por exemplo, se um candidato liderou uma equipe e menciona um aumento na produtividade, isso pode indicar habilidades de liderança e motivação.

3. Observe as Realizações

As realizações listadas no currículo também podem revelar soft skills valiosas. Por exemplo, se um candidato menciona a superação de desafios, trabalhar efetivamente em equipe ou lidar com conflitos de forma construtiva, essas são pistas de suas habilidades interpessoais.

4. Avalie as Atividades Extracurriculares e Voluntariado

Não se esqueça de olhar para as seções de atividades extracurriculares e experiência de voluntariado. As atividades fora do ambiente de trabalho muitas vezes destacam as soft skills de um candidato, como trabalho em equipe, empatia e envolvimento com a comunidade.

5. Considere as Referências e Recomendações

Se o currículo incluir referências ou recomendações de empregadores anteriores, leia-as atentamente. Elas podem conter informações valiosas sobre as soft skills do candidato, especialmente se forem elogiados por suas habilidades interpessoais.

A Importância de Selecionar a Pessoa Certa

A seleção da pessoa certa em um processo de recrutamento vai além de verificar as habilidades técnicas. É fundamental considerar as soft skills, pois elas desempenham um papel significativo na integração do candidato na equipe e na cultura da empresa. Aqui estão algumas razões pelas quais a seleção da pessoa certa é crucial:

1. Impacto na Cultura Organizacional

As soft skills de um candidato podem influenciar significativamente a cultura organizacional. Se você contratar alguém com excelentes habilidades interpessoais, isso pode criar um ambiente de trabalho mais colaborativo e positivo. Por outro lado, a falta de soft skills adequadas pode prejudicar o ambiente e causar conflitos.

2. Eficiência da Equipe

Soft skills como comunicação eficaz, trabalho em equipe e resolução de conflitos são essenciais para a eficiência da equipe. A falta dessas habilidades pode levar a falhas na colaboração e à diminuição da produtividade.

3. Sucesso a Longo Prazo

Selecionar candidatos com as soft skills certas não é apenas benéfico no curto prazo, mas também no longo prazo. Profissionais com habilidades interpessoais sólidas tendem a se adaptar melhor, crescer na empresa e contribuir para seu sucesso contínuo.

4. Satisfação do Cliente e Parceiros

As soft skills de seus colaboradores podem afetar diretamente a satisfação dos clientes e parceiros de negócios. A empatia, por exemplo, desempenha um papel fundamental na compreensão das necessidades do cliente e na construção de relacionamentos sólidos.

Dicas para uma Seleção Eficaz

Ao selecionar a pessoa certa durante o processo de recrutamento, considere as seguintes dicas:

1. Realize Entrevistas Comportamentais

Entrevistas comportamentais são uma ótima maneira de avaliar as soft skills de um candidato. Faça perguntas que exijam exemplos concretos de como eles lidaram com situações passadas que demonstram suas competências interpessoais.

2. Peça Exemplos e Referências

Solicite exemplos específicos de situações em que o candidato demonstrou as soft skills desejadas. Além disso, entre em contato com as referências para obter informações adicionais sobre suas habilidades interpessoais.

3. Avalie a Cultura da Empresa

Considere a cultura da empresa ao avaliar candidatos. Pergunte-se como as soft skills do candidato se encaixariam na cultura organizacional e se contribuiriam para o ambiente de trabalho desejado.

4. Ofereça Treinamento e Desenvolvimento

Lembre-se de que as soft skills podem ser desenvolvidas. Se um candidato demonstrar potencial e comprometimento, esteja disposto a oferecer treinamento e desenvolvimento para fortalecer suas habilidades interpessoais.

De forma geral, encontrar a pessoa certa em um processo de recrutamento requer a análise cuidadosa dos currículos em busca de soft skills relevantes. Além disso, a seleção da pessoa certa é crucial para o sucesso a longo prazo da empresa, sua cultura organizacional e a satisfação dos clientes e parceiros. Ao priorizar as soft skills e seguir dicas eficazes de seleção, os recrutadores podem contribuir para o crescimento e o sucesso contínuo de suas organizações. Lembre-se de que a pessoa certa não é apenas aquela com as habilidades técnicas adequadas, mas também aquela com as soft skills que se alinham com a missão e os valores da empresa. Por falar nisso, não deixe de checar nosso blog Contrata-se pelo currículo, demite-se pelo comportamento, este certamente ajudará a entender um pouco melhor em como ser mais assertivo(a) no ato de recrutar e seus impactos.

Teaser: Descubra como o mindfulness pode melhorar sua produtividade e bem-estar no mundo corporativo. Acesse o blog e transforme sua vida profissional.

Como gestor no mundo corporativo, você enfrenta constantemente uma série de desafios, desde prazos apertados até demandas complexas. Além disso, sua equipe depende de você para orientação e liderança. A pressão constante pode ser esmagadora, mas você não precisa enfrentá-la sozinho. A prática do mindfulness pode ser a chave para ajudá-lo a se tornar um líder mais eficaz, consciente e equilibrado. Neste blog, exploraremos o que é mindfulness, por que é relevante para gestores corporativos e como você pode incorporá-lo à sua rotina de trabalho.

O que é Mindfulness?

Mindfulness, ou atenção plena, é a prática de estar plenamente presente no momento atual, com aceitação e sem julgamento. Envolve direcionar sua atenção para a experiência presente, seja ela uma tarefa no trabalho, uma conversa com um colega ou um momento de pausa para reflexão. Trata-se de estar consciente de seus pensamentos, emoções e sensações corporais, sem a distração de preocupações passadas ou futuras.

Por que o Mindfulness é Relevante para Gestores?

Como gestor, você desempenha um papel crucial na dinâmica da equipe e no sucesso da empresa. O mindfulness é particularmente relevante para gestores corporativos por várias razões:

Tomada de Decisão Melhor Informada

A prática do mindfulness ajuda você a tomar decisões mais ponderadas, considerando todas as informações relevantes, em vez de reagir impulsivamente. Ao estar plenamente presente e consciente, você pode avaliar as opções com mais clareza e considerar as consequências a longo prazo.

“O mindfulness nos permite tomar decisões mais conscientes, considerando não apenas o impacto imediato, mas também as implicações a longo prazo.” – Dr. Jon Kabat-Zinn

Gestão Eficaz do Estresse

Lidar com o estresse é uma parte inevitável do papel de gestor. O mindfulness oferece ferramentas e técnicas para gerenciar o estresse com mais eficácia, o que pode levar a uma tomada de decisão mais clara e a uma liderança mais equilibrada. Ao cultivar a habilidade de estar presente no momento atual, você pode reduzir a ansiedade e o estresse associados às demandas diárias do trabalho.

Comunicação Aprimorada

Ser um comunicador eficaz é fundamental para liderar uma equipe. O mindfulness pode melhorar suas habilidades de escuta e empatia, fortalecendo seus relacionamentos com os membros da equipe. Ao estar completamente presente em uma conversa, você pode realmente ouvir o que os outros têm a dizer, compreender suas perspectivas e responder de maneira mais construtiva.

“A atenção plena na comunicação nos permite ouvir verdadeiramente os outros, compreender suas necessidades e responder de maneira eficaz.” – Dr. Dan Siegel

Aumento da Produtividade

Ao estar plenamente presente em suas tarefas, você se torna mais produtivo e capaz de realizar suas responsabilidades de maneira mais eficiente. O mindfulness ajuda a focar sua atenção no que é mais importante, eliminando distrações e melhorando sua capacidade de concentração. Isso pode levar a um aumento significativo na produtividade e no desempenho geral.

“A atenção plena nos permite realizar nossas tarefas com mais eficiência, aproveitando ao máximo nosso tempo e energia.” – Dr. Ellen Langer

Liderança Consciente

O mindfulness ajuda a cultivar uma liderança mais consciente, onde você está ciente de seu impacto na equipe e na cultura da empresa. Ao estar presente e consciente, você pode tomar decisões alinhadas com os valores da empresa e criar um ambiente de trabalho saudável e positivo. Uma liderança consciente é capaz de inspirar e motivar a equipe, promovendo um senso de propósito e bem-estar no trabalho.

“A liderança consciente requer uma conexão profunda consigo mesmo e com os outros, cultivada por meio da prática do mindfulness.” – Dr. Richard Boyatzis

Ferramentas para Praticar o Mindfulness no Trabalho

Existem várias ferramentas práticas que os gestores corporativos podem utilizar para incorporar o mindfulness em sua rotina diária de trabalho. Essas ferramentas podem ajudá-lo a desenvolver habilidades de mindfulness e implementar práticas que promovam o bem-estar pessoal e coletivo. Aqui estão algumas sugestões:

Meditação Guiada

A meditação guiada é uma prática de mindfulness em que você segue instruções passo a passo para se concentrar na respiração e na conscientização dos pensamentos e sensações. Existem aplicativos móveis populares, como o Headspace e o Calm, que oferecem meditações guiadas específicas para gestores e líderes corporativos. Reserve alguns minutos todos os dias para praticar a meditação guiada e experimente os benefícios do mindfulness em sua vida profissional.

Pausas Breves

Faça pausas curtas entre as tarefas para respirar profundamente e redirecionar sua atenção antes de passar para a próxima atividade. Essas pausas breves podem ajudar a restaurar seu foco e energia, além de reduzir o estresse acumulado ao longo do dia. Use esse momento para se reconectar com sua respiração, observar seus pensamentos e simplesmente estar presente no momento.

Escrita Reflexiva

Mantenha um diário onde você possa refletir sobre suas experiências diárias no trabalho, incluindo desafios e realizações. A escrita reflexiva é uma forma de praticar o mindfulness, permitindo que você processe suas emoções e pensamentos de forma consciente. Reserve alguns minutos todos os dias para escrever sobre suas experiências e insights, e observe como isso pode ajudar a aumentar sua autoconsciência e clareza mental.

Treinamentos de Mindfulness

Considere participar de programas de treinamento de mindfulness projetados especificamente para o ambiente de trabalho, como o programa MBSR (Mindfulness-Based Stress Reduction) ou o MBCT (Mindfulness-Based Cognitive Therapy) que são reconhecidos em suas áreas de atuação respectivos, por exemplo. Esses programas oferecem uma estrutura e orientações para desenvolver habilidades de mindfulness e aplicá-las em seu trabalho diário. Os treinamentos podem incluir práticas de meditação, exercícios de atenção plena e discussões em grupo.

Feedback 360 Graus

Solicite feedback regular de sua equipe sobre como você está se saindo como líder e use essa informação para se aprimorar. O feedback 360 graus é uma ferramenta valiosa para desenvolver habilidades de liderança consciente, permitindo que você obtenha uma visão completa de como sua liderança está impactando a equipe. Esteja aberto a críticas construtivas e use-as como oportunidades de crescimento e aprendizado.

Elencamos aqui as 3 mais famosas ferramentas para começar a ser um Gestor antenado no Mindfulness:

  • Aplicativos: Existem inúmeras opções de aplicativos móveis que oferecem meditações guiadas, exercícios de respiração e outras práticas de mindfulness. Alguns dos aplicativos mais conhecidos incluem o Headspace, o Calm, o Insight Timer e o 10% Happier.
  • Livros e Audiolivros: Muitos autores renomados escreveram livros sobre mindfulness. Alguns títulos populares incluem “O Poder do Agora”, de Eckhart Tolle, e “A Arte de Viver”, de Thich Nhat Hanh. Além disso, audiolivros permitem que você ouça práticas de mindfulness enquanto está em movimento.
  • Dispositivos de Biofeedback: Alguns dispositivos, como monitores de frequência cardíaca e aplicativos de biofeedback, podem ajudar a medir seus níveis de estresse e fornecer feedback em tempo real sobre como suas práticas de mindfulness estão afetando sua fisiologia.

O mindfulness não é apenas uma prática diária, mas também uma ferramenta poderosa para gestores corporativos. Ao incorporar o mindfulness em sua liderança, você pode tomar decisões mais conscientes, gerenciar o estresse com eficácia, aprimorar sua comunicação e se tornar um líder mais eficaz e equilibrado. Comece a explorar o mundo do mindfulness hoje e descubra como ele pode transformar sua carreira e sua vida. Lembre-se, a liderança consciente começa com você. Quer aprender mais tecnicas incríveis de produtividade? Não deixe de visitar nosso blog e domine o poder do Flow.

“O mindfulness nos permite encontrar equilíbrio, clareza e propósito em nossas vidas profissionais, promovendo o bem-estar pessoal e coletivo.” – Dr. Ellen Langer

As leis trabalhistas estão em constante evolução para acompanhar as mudanças no mundo do trabalho. Para os profissionais de Recursos Humanos (RH), é essencial estar atualizado sobre as alterações legais e regulatórias que impactam as relações de trabalho. O ano de 2023 traz algumas novidades importantes para o cenário trabalhista no Brasil. Neste artigo, vamos explorar as principais mudanças nas leis trabalhistas e como elas afetam o RH.

1. Controle de Jornada no Teletrabalho

Uma das mudanças mais significativas nas leis trabalhistas em 2023 diz respeito ao controle de jornada no teletrabalho. Anteriormente, os funcionários que trabalhavam em casa não precisavam fazer o controle de ponto. No entanto, uma nova regulamentação determina que mesmo os profissionais que atuam remotamente devem ter seu tempo de trabalho registrado. A MP 1108/22, integrando a LEI No 7.064, DE 6 DE DEZEMBRO DE 1982, que surgiu principalmente para regulamentar esse modelo de trabalho e proporcionar às empresas e aos colaboradores maior segurança jurídica quanto ao trabalho remoto. 

De acordo com a advogada especializada em direito trabalhista, Yara Leal, essa alteração foi imposta em setembro de 2022: “Hoje, se a pessoa trabalha fora da empresa, ela não está excluída do controle de pontos, a não ser que o empregador faça o controle por produção ou tarefa. Para garantir segurança jurídica, o empregador precisa ter uma lista das atividades e fazer esse acompanhamento”, explica Yara.

Essa mudança tem como objetivo garantir que os trabalhadores remotos tenham seus direitos respeitados, evitando jornadas excessivas e garantindo o equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

2. Fim do Rebate no Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT)

Outra mudança importante nas leis trabalhistas de 2023 diz respeito ao Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT). O PAT tem como objetivo proteger a saúde dos trabalhadores, garantindo o acesso a refeições adequadas durante a jornada de trabalho. Anteriormente, as empresas podiam recuperar uma taxa negativa, conhecida como rebate, ao final do ano.

No entanto, essa taxa foi retirada em 2023, como explica Yara Leal: “A principal alteração é a retirada do rebate, fazendo com que a empresa escolha o melhor produto para as pessoas, e não apenas o que vai oferecer maior vantagem financeira. Isso coloca o colaborador no centro da decisão; não o caixa da empresa.”

Essa mudança visa priorizar o bem-estar dos trabalhadores, permitindo que eles tenham acesso a uma alimentação adequada e saudável, sem que a empresa busque apenas benefícios financeiros.

3. Proposta de Redução da Jornada de Trabalho para 4 Dias

Uma das mudanças mais discutidas e aguardadas nas leis trabalhistas de 2023 é a proposta de redução da jornada de trabalho para 4 dias por semana. Essa medida tem como objetivo promover uma maior flexibilidade no trabalho e melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores.

A proposta está em análise e ainda não foi aprovada, mas caso seja implementada, trará impactos significativos para o RH e as empresas. Além de reorganizar a carga horária dos funcionários, essa mudança exigirá uma revisão dos contratos de trabalho, das políticas internas e dos sistemas de controle de ponto.

É importante ressaltar que essa proposta ainda está em discussão e é necessário aguardar a aprovação e a regulamentação para que as empresas possam se adaptar às novas regras, caso sejam implementadas.

Por hora, um projeto piloto acontecerá no Brasil e será analisada pela FGV para testar tais efeitos na sociedade, veja aqui a lista completa das empresas que participarão desse projeto.

4. Contribuição assistencial: STF autoriza cobrança de todos os trabalhadores

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 10 votos a 1, que a contribuição assistencial pode ser cobrada de todos os trabalhadores, sindicalizados ou não. A contribuição é destinada ao custeio das atividades dos sindicatos, como negociações coletivas e atendimento aos trabalhadores.

A decisão foi criticada por especialistas, que alegaram que ela representa um retrocesso e pode causar insegurança jurídica. Os trabalhadores que não quiserem pagar a contribuição terão que manifestar oposição ao desconto em folha de pagamento.

Pontos principais:

  • A contribuição assistencial pode ser cobrada de todos os trabalhadores, sindicalizados ou não.
  • A contribuição é destinada ao custeio das atividades dos sindicatos.
  • A decisão foi criticada por especialistas, que alegaram que ela representa um retrocesso.
  • Os trabalhadores que não quiserem pagar a contribuição terão que manifestar oposição ao desconto em folha de pagamento.

A decisão do STF é um importante precedente para o futuro do sindicalismo no Brasil. A contribuição assistencial é uma importante fonte de receita para os sindicatos, que poderão utilizá-la para fortalecer sua atuação em negociações coletivas e no atendimento aos trabalhadores.

Ainda é cedo para dizer quais serão os impactos da decisão do STF no sindicalismo brasileiro. No entanto, é um tema que deve ser acompanhado de perto, pois pode ter implicações significativas para a representação dos trabalhadores no país.

5. Outras Mudanças e Tendências nas Leis Trabalhistas

Além das mudanças mencionadas anteriormente, há outras tendências e alterações nas leis trabalhistas que o RH precisa estar atento em 2023. Algumas delas incluem:

5.1. Home Office e Flexibilidade de Trabalho

Com o avanço do trabalho remoto e a necessidade de maior flexibilidade, é esperado que as leis trabalhistas se adaptem a essa nova realidade. O RH deve estar preparado para lidar com questões relacionadas ao home office, como o controle de jornada, direitos e deveres dos funcionários remotos, e a garantia de um ambiente de trabalho saudável e seguro, mesmo fora das dependências da empresa.

5.2. Proteção de Dados Pessoais

Com a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) em 2020, as empresas tiveram que se adequar às novas regras de proteção de dados pessoais. Em 2023, é esperado que o RH continue aprimorando suas práticas de proteção de dados, garantindo a privacidade e a segurança das informações dos colaboradores.

5.3. Valorização da Saúde Mental no Ambiente de Trabalho

A saúde mental dos colaboradores tem se tornado uma preocupação crescente para as empresas. Espera-se que em 2023 as leis trabalhistas também deem maior importância a essa questão, exigindo que as empresas adotem políticas de saúde mental, ofereçam suporte psicológico aos funcionários e promovam um ambiente de trabalho saudável e acolhedor.

5.4. Equidade de Gênero e Diversidade

A busca por maior equidade de gênero e diversidade nas empresas tem se tornado uma pauta cada vez mais relevante. É esperado que as leis trabalhistas em 2023 incentivem e promovam a igualdade de oportunidades no ambiente de trabalho, combatendo a discriminação e incentivando a diversidade nas contratações e promoções.

Conclusão

As leis trabalhistas estão em constante evolução para acompanhar as transformações no mundo do trabalho. Em 2023, o RH deve estar atento às mudanças e tendências nas leis trabalhistas, como o controle de jornada no teletrabalho, o fim do rebate no PAT e a possível redução da jornada de trabalho para 4 dias além de novas regras na contribuição sindical. É importante acompanhar outras questões como home office, proteção de dados, saúde mental e equidade de gênero. Ficar atualizado e agir de acordo com as leis é essencial para garantir relações de trabalho saudáveis e produtivas.

Você já teve aqueles momentos em que o tempo parece desaparecer, as distrações se dissipam e você se sente totalmente imerso em uma tarefa, produzindo seu melhor trabalho? Se sim, você provavelmente estava experimentando o que os psicólogos chamam de “estado de fluxo”. Neste artigo, vamos explorar o que é o estado de flow, como ele funciona e como você pode entrar nele para melhorar sua eficiência na execução de tarefas.

O que é o Estado de Flow?

O estado de fluxo, também conhecido como “flow”, foi conceituado pela primeira vez pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi. É uma experiência em que você está tão completamente absorvido em uma atividade que perde a noção do tempo e de si mesmo. Durante esse estado, você se sente energizado, focado e extremamente produtivo, criativo e feliz. O flow é frequentemente associado à sensação de realização, prazer e contentamento e é benéfico para nossa saúde mental e física, assim como também pode nos ajudar a lidar com o estresse e a ansiedade do dia-a-dia.

“O flow é estar completamente envolvido em uma atividade pelo seu próprio bem. A motivação intrínseca é o que nos leva a um estado de flow.” – Mihaly Csikszentmihalyi

Assista o vídeo de Mihaly Csikszentmihalyi falando um pouco mais sobre esse estado de foco.

As Características do Estado de flow

Para reconhecer quando você está no estado de flow, é útil entender suas características distintivas:

Foco Intenso

Você está completamente imerso na tarefa, e todas as distrações parecem desaparecer. Sua atenção está focada na atividade em questão. Durante esse estado, você não fica preocupado com o passado ou o futuro, apenas se concentra no presente.

Sensação de Controle

Você se sente no controle total da situação. Mesmo quando enfrenta desafios, acredita que tem as habilidades necessárias para superá-los. Isso gera confiança e aumenta sua motivação para continuar avançando.

Perda de Noção do Tempo

O tempo parece voar ou estagnar. Você pode trabalhar por horas a fio sem perceber. Essa perda de noção do tempo acontece porque você está tão envolvido na atividade que está realizando que não sente o tempo passar.

Clareza de Objetivos

Você tem uma compreensão clara do que precisa fazer e de como cada ação se relaciona com seu objetivo. Essa clareza ajuda a direcionar sua energia e foco, tornando mais fácil para você se manter no estado de flow.

Feedback Imediato

Você recebe feedback imediato sobre seu desempenho, o que permite ajustes constantes e melhoria contínua. Esse feedback pode ser interno, vindo de você mesmo, ou externo, vindo de outras pessoas ou do ambiente.

Como Entrar no Estado de flow

A boa notícia é que o estado de flow não é um fenômeno aleatório; você pode cultivá-lo. Aqui estão algumas estratégias para ajudá-lo a entrar nesse estado de alto desempenho:

1. Defina Metas Claras

Tenha objetivos claros para a tarefa em questão. Saber o que você deseja alcançar é essencial para manter o foco. Defina metas específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com prazo determinado (SMART goals).

2. Escolha Desafios Adequados

A tarefa deve ser desafiadora o suficiente para engajar sua mente, mas não tão difícil a ponto de causar frustração. Encontrar o equilíbrio certo é fundamental. Se a tarefa for muito fácil, você pode se sentir entediado e perder o interesse. Se for muito difícil, você pode se sentir sobrecarregado e desanimado.

3. Foque no Momento Presente

Quando estamos pensando no passado ou no futuro, é mais difícil entrar em estado de flow. Concentre-se na tarefa que você está realizando e esqueça de tudo ao seu redor. Evite distrações e mantenha-se presente no momento.

4. Elimine Distrações

Desligue as notificações do seu celular, e-mail e outras fontes de interrupção. Crie um ambiente propício para a concentração. Se possível, escolha um local de trabalho confortável e inspirador. Um espaço agradável pode ajudar a melhorar a qualidade do seu trabalho.

5. Desenvolva Habilidades

Quanto mais habilidoso você for na tarefa, mais fácil será entrar no estado de flow. Invista tempo em aprimorar suas competências. A prática regular e o aprendizado contínuo são fundamentais para desenvolver habilidades e aumentar sua confiança.

6. Tenha um Feedback Imediato

Se a tarefa não oferecer um feedback natural, estabeleça metas intermediárias para monitorar seu progresso. Isso permitirá que você avalie seu desempenho e faça ajustes conforme necessário. O feedback imediato é uma ferramenta poderosa para manter você engajado e motivado.

7. Pratique a Mindfulness

Técnicas de mindfulness, como a meditação, podem ajudá-lo a desenvolver a capacidade de concentração necessária para entrar no estado de flow. Aprenda a estar presente no momento, sem julgamentos ou distrações. A prática regular de mindfulness pode melhorar sua capacidade de se concentrar e se envolver totalmente em suas atividades.

Dicas para Treinar seu Cérebro para Entrar em Estado de flow

  • Comece com uma tarefa que você gosta. É mais fácil entrar em estado de flow quando estamos fazendo algo que nos interessa.
  • Faça pausas regulares. Quando você começar a se sentir cansado ou desmotivado, faça uma pausa de alguns minutos. Isso ajudará a restaurar sua energia e manter seu foco.
  • Recompense-se. Quando você atingir uma meta, recompense-se com algo que você gosta. Isso ajudará a manter você motivado e engajado em suas tarefas.

Conclusão

O estado de flow é um estado mental desejável para a execução de tarefas, pois aumenta significativamente a produtividade, a satisfação e a qualidade do trabalho. Embora não seja algo que possa ser alcançado instantaneamente, com prática e conscientização, você pode aumentar suas chances de entrar no estado de flow regularmente. Ao fazer isso, você estará no caminho para se tornar mais eficaz e satisfeito em suas atividades diárias. Portanto, comece a aplicar essas estratégias hoje e experimente os benefícios do estado de flow em sua vida.

“Não é sobre trabalhar mais, mas sim sobre trabalhar com mais eficiência e propósito.” – Autor Desconhecido
Inclusive, você já conhece nossa calculadora de horas extras? Imaginamos que enquanto você pratica as dicas desse blog, ainda esteja fazendo algumas horas extras para conseguir entregar as demandas do seu dia-a-dia né? Veja aqui como funciona e fique atento nos cálculos que devem ser feitos em cima dessas horas. É gratuito!

A norma reguladora 17, ou simplesmente NR17, surgiu para controlar e diminuir os danos causados pelo aumento do uso de equipamentos eletrônicos no dia a dia das empresas.

As Normas Regulamentadoras (NRs) foram criadas para estabelecer diretrizes sobre procedimentos relacionados à Segurança e Medicina do Trabalho e compõem a Portaria do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) , sendo obrigatórias para todas as empresas geridas por CLT.

Como as inovações tecnológicas trouxeram avanço e agilidade às atividades profissionais, elas também  incidiram em problemas à saúde, de forma que a NR17 veio para sanar essas questões e melhorar a produtividade dos negócios, sem prejuízos à saúde dos colaboradores.

O que é a NR17? Quais são seus objetivos e regras?

A NR17 é a norma que diz respeito à ergonomia no ambiente de trabalho, estabelecendo parâmetros que permitam adaptar as condições de trabalho às características dos trabalhadores, visando proporcionar máximo conforto e segurança.

Ela foi necessária para estabelecer normas que dessem aos colaboradores maior segurança para trabalhar e maior eficiência nas atividades, sem ocasionar prejuízos à saúde destes.

Objetivos da NR17

Seu objetivo principal é a prevenção de possíveis problemas de saúde através de prescrições de ergonomia estabelecidas pelo Ministério do Trabalho e estrutura-se pelos seguintes aspectos no ambiente de trabalho:

  1. Levantamento, transporte e descarga individual de materiais;
  2. Mobiliário;
  3. Equipamentos;
  4. Condições ambientais de trabalho;
  5. Cultura e organização.

Ou seja, fatores como postura inadequada e equipamentos desprovidos de conforto e segurança aumentam o risco de lesões.

Regras da NR17

Compreender as diretrizes para a compreensão dessa norma incluem:

  • Ajustes nas condições de trabalho;
  • Cuidados com manuseio, transporte e descarga de materiais;
  • Avaliação do mobiliário dos postos de trabalho;
  • Testagem dos equipamentos utilizados;
  • Observação das condições ambientais do ambiente de trabalho;
  • Estabelecer uma organização geral das atividades laborais.

Atividades laborais abrangidas pela NR17 e benefícios desta norma para os trabalhadores

Veremos a seguir que atividades a Nr17 abrange e os benefícios que ela implica aos trabalhadores.

Quais atividades laborais são abrangidas pela NR17?

A norma se destina a todos os trabalhadores e empresas, embora as Normas Regulamentadoras possuam diferenças devido aos tipos de atividade laboral. 

Porém, se tratando de ergonomia, pode-se dizer que o ambiente de trabalho deve se adequar ao trabalhador, independente do cargo, função ou atividade que este exerce, já que este conceito surgiu justamente para alinhar a medicina ocupacional com a segurança do trabalho.

A ergonomia objetiva garante saúde e qualidade de vida ao trabalhador, criando formas de preservar a saúde deste e reduzir esforços físicos, mentais e psicológicos no desempenho de sua função.

Ergonomia determinada pela NR17:

De acordo com a NR17, essa abordagem pode ser dividida em três áreas:

  • Física: relativa à ergonomia baseada na anatomia humana proporcionando conforto físico ao indivíduo;
  • Cognitiva: aborda aspectos mentais – concentração, memória e saúde mental no ambiente de trabalho;
  • Organizacional: visa a conscientização e a promoção das boas práticas de ergonomia no ambiente de trabalho.

Quais são os benefícios da NR17 para os trabalhadores?

A NR17 pode promover benefícios, tanto para o trabalhador, quanto para as empresas. Confira as principais.

Redução dos afastamentos e doenças de trabalho

A redução dos afastamentos por doença de trabalho é onde ocorre o maior impacto nas empresas, pois os casos de depressão e ansiedade, Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) vem aumentando de forma significativa desde a pandemia.

Isso coloca as empresas na responsabilidade de oferecer ferramentas adequadas para o trabalho – na empresa ou no home office. O ambiente de trabalho, mesmo que seja na casa da pessoa, ainda é de responsabilidade da empresa que precisa criar ações e estratégias para evitar doenças futuras.

Estar em consonância com a Lei

A empresa estar em conformidade com a NR17 não apenas evita processos trabalhistas ou ressarcimentos, já que isso promove impacto social, emocional e físico que podem incorrer em sérias consequências aos profissionais. 

As Normas Regulamentadoras amparam as empresas em caso de denúncias injustas, ao mesmo tempo em que protegem o colaborador de atuar em ambientes inadequados de trabalho.

Mais qualidade de vida no trabalho e aumento da produtividade

Desempenhar o trabalho com falta de ferramentas ou recursos adequados que podem afetar a qualidade de vida do colaborador são de competência ergonômica. Os profissionais precisam contar com bons equipamentos – seja para desempenho da função – seja para proteção na operação de suas funções. 

A qualidade de vida do profissional compete ao ambiente, ao tipo de atividade a que ele se dedica e, obviamente, à preservação de sua saúde.

As empresas e seus departamentos de RH devem atentar-se a profissionais com baixo rendimento, faltas ou problemas de comportamento, identificando as possíveis causas e agindo, pois, por vezes, o problema pode ser ergonômico e, adequando essas questões, seus colaboradores ficarão mais felizes e produtivos. 

Reestruturação das jornadas de trabalho

Momentos de pausa, interjornadas e a quantidade de horas trabalhadas também impactam na ergonomia do ambiente de trabalho, já que esse conceito não trata apenas de questões de esforço físico, mas também da parte mental, emocional e psicológica.

Empresas que oferecem uma jornada de trabalho adequada aos seus colaboradores percebem benefícios ergonômicos e econômicos, além de aumento na produtividade dos profissionais. 

Diminuição nos índices de absenteísmo 

O absenteísmo é utilizado para medir a ausência do colaborador e um dos fatores determinantes é a baixa qualidade de vida e/ou más condições de trabalho.

As NRs garantem ao trabalhador que a empresa ofereça um ambiente de trabalho que favoreça seu bem estar e a instituição, ao cumprir as exigências da lei, impacta positivamente na permanência e presença dos colaboradores que não precisam afastar-se do trabalho com tanta frequência. 

Como aplicar a NR17 na sua empresa?

De início a empresa deve comunicar a todos os colaboradores as regras estabelecidas pela NR17 e divulgar murais e/ou cartilhas – de fácil visualização – em que constem as medidas que o próprio colaborador precisa ter para garantir sua saúde no ambiente de trabalho.

Como segundo passo, as equipes de RH e segurança do trabalho devem fiscalizar de forma constante e tomar medidas preventivas para evitar acidentes – desde a instalação de placas, avisos ou anúncios nos locais de perigo, por exemplo.

Usar e abusar de formas que conscientizem os profissionais é uma dica valiosa.

A produtividade é um fator crucial para o sucesso de qualquer organização. No ambiente de Recursos Humanos, a busca por maior eficiência e eficácia é constante. Felizmente, a tecnologia tem desempenhado um papel fundamental na melhoria da produtividade da equipe de People – termo muito utilizado por empresas multinacionais, especialmente por meio da implementação de sistemas automatizados. Neste artigo, exploraremos a correlação entre a produtividade no ambiente de Recursos Humanos e a adoção de tecnologias, como sistemas de ponto eletrônico e soluções de gestão. Vamos descobrir como essas ferramentas ajudam a reduzir tarefas repetitivas e burocráticas, permitindo que os profissionais se concentrem em atividades estratégicas e impulsionem o crescimento pessoal e das organizações.

O Desafio do Passado

No passado, os departamentos enfrentavam diversos desafios ao lidar com processos manuais e burocráticos. Tarefas como controle de ponto, recrutamento e seleção, gestão de benefícios e folha de pagamento eram realizadas de forma manual, consumindo tempo e recursos valiosos. Esses métodos antiquados muitas vezes resultavam em erros, ineficiências e insatisfação dos funcionários. Algo que corrobora com essa afirmativa, é a pesquisa realizada pela empresa de consultoria Mercer, o relatório “The State of Talent Management 2023” publicado em fevereiro de 2023 contou com a participação de mais de 10.000 profissionais de RH de todo o mundo.

O relatório identificou que os principais motivos para a insatisfação dos profissionais de RH são:

  • Ineficiência da empresa: 62% dos respondentes afirmaram que a ineficiência da empresa é um fator de insatisfação.
  • Falta de inovação: 58% dos respondentes afirmaram que a falta de inovação é um fator de insatisfação.
  • Falta de reconhecimento: 56% dos respondentes afirmaram que a falta de reconhecimento é um fator de insatisfação.
  • Falta de oportunidades de crescimento: 54% dos respondentes afirmaram que a falta de oportunidades de crescimento é um fator de insatisfação.
  • Falta de equilíbrio entre vida pessoal e profissional: 52% dos respondentes afirmaram que a falta de equilíbrio entre vida pessoal e profissional é um fator de insatisfação.

O relatório também identificou que os profissionais de RH estão cada vez mais exigentes em relação aos seus empregos. Eles estão buscando empresas que ofereçam um ambiente de trabalho saudável, oportunidades de crescimento e desenvolvimento profissional, e um equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Felizmente, a tecnologia tem oferecido soluções para esses desafios, melhorando consideravelmente a produtividade e auxiliando no quesito equilíbrio da vida pessoal e profissional.

Automatização do Controle de Ponto

Um dos principais avanços tecnológicos é a automatização do controle de ponto. Os sistemas de ponto eletrônico eliminam a necessidade de registros manuais, proporcionando maior precisão e agilidade no controle de frequência dos funcionários. Além disso, esses sistemas garantem a conformidade com as regulamentações trabalhistas, como a Portaria 671/2021 reduzindo o risco de problemas legais. Com a automatização do controle de ponto, o RH pode dedicar mais tempo a atividades estratégicas, como treinamento e desenvolvimento, gestão de desempenho e capacitação.

Recrutamento e Seleção Simplificados

Outro aspecto em que a tecnologia tem impactado positivamente a produtividade do RH é no recrutamento e seleção de talentos. Através de sistemas automatizados, é possível simplificar todo o processo, desde a triagem de currículos até a realização de entrevistas iniciais. Esses sistemas utilizam algoritmos inteligentes para identificar candidatos qualificados, agilizando o processo de contratação. Além disso, a tecnologia permite a criação de bancos de talentos, facilitando a busca por profissionais com habilidades específicas internamente, sem ter que constantemente buscar profissionais no mercado, já que essa não é uma tarefa simples.

Gestão de Benefícios e Folha de Pagamento Eficiente

A gestão de benefícios e folha de pagamento é uma área que demanda tempo e atenção dos profissionais de RH. Com a adoção de sistemas automatizados, é possível simplificar e agilizar esses processos, reduzindo erros e garantindo o pagamento correto dos funcionários. Além disso, esses sistemas permitem o acesso rápido e seguro às informações de benefícios, facilitando a comunicação entre o time de pessoas e os colaboradores. Com uma gestão eficiente de benefícios e folha de pagamento, a equipe pode direcionar seus esforços para atividades mais estratégicas, como a retenção de talentos e o desenvolvimento de programas de bem-estar.

Gestão de Desempenho e Capacitação

A tecnologia também desempenha um papel fundamental na gestão de desempenho e capacitação dos colaboradores. Sistemas automatizados permitem o acompanhamento contínuo do desempenho de cada funcionário, identificando áreas de melhoria e necessidades de capacitação. Esses sistemas podem gerar relatórios detalhados, facilitando a análise e o planejamento de ações de desenvolvimento. Além disso, a tecnologia oferece soluções de aprendizagem online, como cursos e treinamentos, que podem ser acessados a qualquer momento e em qualquer lugar. Com a gestão de desempenho e capacitação automatizada, o RH pode potencializar o crescimento e o progresso dos colaboradores, tornando-os mais produtivos e engajados.

Gestão de Documentos Simplificada

A digitalização de documentos e a implementação de sistemas de gestão eletrônica de documentos (GED) são recursos valiosos para otimizar a produtividade do RH. Essa tecnologia permite o armazenamento seguro e organizado de documentos relacionados aos funcionários, como contratos, avaliações de desempenho e certificados de treinamento. Com a gestão eletrônica de documentos, o time pode acessar rapidamente as informações necessárias, eliminando a busca manual de documentos físicos. Além disso, a tecnologia garante a confidencialidade e a integridade dos dados, protegendo a privacidade dos funcionários.

Benefícios Tangíveis da Tecnologia no Ambiente de RH

A adoção de sistemas automatizados e tecnologias no ambiente de RH proporciona diversos benefícios tangíveis para as organizações, incluindo:

  • Redução de erros administrativos
  • Maior eficiência e agilidade nos processos
  • Melhor comunicação e transparência com os colaboradores
  • Acesso rápido e seguro às informações dos funcionários
  • Tomada de decisões mais embasadas e estratégicas
  • Redução de custos operacionais

A produtividade no ambiente de RH é essencial para o sucesso das organizações. A tecnologia tem desempenhado um papel fundamental na otimização dos processos do RH, permitindo que os profissionais se concentrem em atividades estratégicas e promovam o crescimento das organizações. A automação do controle de ponto, a simplificação do recrutamento e seleção, a gestão eficiente de benefícios e folha de pagamento, a capacitação dos colaboradores e a gestão eletrônica de documentos são apenas algumas das formas pelas quais a tecnologia tem impactado positivamente a produtividade do RH. Ao adotar essas soluções, as organizações podem alcançar maior eficiência, reduzir custos e fortalecer sua vantagem competitiva. Portanto, é essencial que os profissionais de RH estejam abertos a essas inovações e busquem constantemente maneiras de melhorar sua produtividade por meio da tecnologia. Por falar nisso, a Ponto Icarus pode te dar esse suporte, conheça nossa página de funcionalidades e não deixe de fazer o teste de 14 dias totalmente gratuito!

Pressione ESC para fechar