Pressione ESC para fechar


0

Liderança Criativa: a porta de entrada para a inovação da sua empresa

O ambiente de negócios nos dias de hoje está impactado pelo contexto de mudança provocado pelas novas tecnologias. As empresas precisam de estratégias que vão além do comum e de respostas originais para se adequarem a situações inesperadas. Por isso, elas sentem cada vez mais a necessidade de uma liderança criativa. 

Inegavelmente, de nada adianta adotar as mais modernas práticas de gestão, com o apoio das melhores ferramentas, para fomentar criatividade e inovação se a liderança ainda estiver aprisionada por fórmulas convencionais ou até mesmo ultrapassadas.

O que é a Liderança Criativa?

A ideia de Liderança Criativa surgiu em 2000, do trabalho de dois pesquisadores da Escola de Negócios da Universidade de Manchester, Inglaterra: Tudor Rickards e Susan Moger, ou Rickards e Moger (R&M). 

Eles a desenvolveram a partir do acompanhamento de duas mil equipes de trabalho em diferentes empresas, de pequeno, médio e grande portes, além de organizações governamentais e não governamentais, em 40 países.

Na pesquisa, eles identificaram que a Liderança Criativa é “um processo que muda o comportamento criativo da equipe de inaceitável para aceitável, e de aceitável para superior, através da introdução de estruturas ‘benignas’, enfatizando a cooperação (e não a coerção) e a mutualidade (situações que beneficiem o grupo e o líder ao mesmo tempo) (R&M, 2000).”

Para saber mais sobre este conceito, você pode ler o estudo “Análise do modelo de liderança criativa de Rickards & Moger”, dissertação de Mestrado de Jorge M. V. Caetano Jr., da Universidade de Maringá/PR.

Qual é o papel do Líder Criativo?

Para cumprir esta missão, o líder criativo precisa incentivar a disrupção e a inovação da sua equipe, em detrimento de valores tradicionais, como foco e competitividade.

As empresas mais inovadoras do mundo, como Apple e Google, mostram que este incentivo ajuda a potencializar os resultados. Isso porque os líderes aprendem continuamente a estimular a criatividade e motivar os seus liderados. 

Em outras palavras, eles estão sempre abertos à imensa variedade de ideias que surgem no mercado, como tendências, tecnologia e cultura. 

Outro papel importante do líder criativo é buscar um constante equilíbrio para escutar e conciliar as ideias com os membros da equipe.

Liderança Criativa: a porta de entrada para a inovação da sua empresa

Veja as 5 habilidades mais exigidas pela Liderança Criativa

Sem dúvida, os líderes sempre encaram desafios complexos e dinâmicos nas empresas. Problemas que vão desde lidar com a gestão de pessoas até tomadas de decisões estratégicas sobre mercados, recursos tecnológicos, causas sociais e ambientais, por exemplo. 

Para dar um tratamento criativo a tudo isso, o líder precisa de determinadas habilidades comportamentais e técnicas, gerando ideias inovadoras, que serão avaliadas e, posteriormente, adicionadas aos planos de ação. Vamos ver algumas delas:

1 – Inteligência Emocional

É necessário um certo nível de inteligência emocional para que o líder seja capaz de compreender e controlar não só as suas, mas também as emoções das pessoas envolvidas no processo criativo. 

Dessa forma, é possível também utilizar as emoções para ajudar na tomada de decisão e no comprometimento da equipe, impactando positivamente o resultado do trabalho. Uma vez que pessoas bem humoradas e com bons sentimentos costumam ser mais criativas.

Portanto, fica fácil entender porque líderes com maior inteligência emocional são capazes de produzir níveis mais elevados de criatividade na empresa. 

2 – Conhecimento Técnico

Não basta tirar ideias do nada. Um líder criativo precisa ter domínio técnico associado à capacidade de envolver as pessoas, além de anteceder cenários, planejar soluções e gerenciar crises. 

Líderes com mais experiência e conhecimento em suas áreas específicas possuem um rico repertório, o que lhes permite reconhecer rapidamente os problemas e apresentar desfechos mais criativos. 

Em suma, eles demonstram ser mais bem orientados para ações inovadoras. 

3 – Receptividade

Ao mesmo tempo, conhecimento não renovado pode criar modelos mentais obsoletos. Portanto, outra condição essencial é a abertura para o aprendizado, buscando novas oportunidades.

Há nos líderes criativos uma certa curiosidade intelectual ávida por novas experiências. 

Isto é, a inovação depende de uma forte relação entre receptividade e criatividade.

4 – Tolerância

As ambiguidades e discordâncias são inerentes ao processo criativo. Por isso, os líderes precisam ser tolerantes ao lidar bem com elas. 

Geralmente, demonstram ser mais capazes de abraçar a incerteza, porque são mais flexíveis e adaptáveis a problemas inesperados. 

Além disso, a tolerância é uma proteção contra eventuais crises e estresses relacionados às posições assumidas pela liderança.

5 – Hábitos Criativos

O exemplo educa. Por isso, o líder criativo precisa ter práticas coerentes. Muito pode ser feito para desenvolver nossa criatividade. 

Uma boa dica é mudar a rotina e o ambiente vez por outra ou fazer pausas breves para arejar. Pode-se também mudar o foco, por algum tempo, e depois voltar ao ponto. Uma boa possibilidade ainda é compartilhar o problema com alguém de fora, sem relação direta com o problema. 


Nunca deixe de valorizar o erro e a tentativa, fazer brainstorming, buscar ideias espontâneas. E, mais importante, abandone a perfeição, porque ela nos paralisa.

Como aplicar a cultura da Liderança Criativa na sua empresa

Se o capital humano da empresa está evaporando, ou seja, tem alto turnover ou rotatividade de pessoal, fique atento. Isso pode estar associado à falta de motivação dos colaboradores.

Quando a competitividade fica excessiva e deixa de ser positiva para se tornar tóxica, quando a fofoca gera desconfiança, se eles não reagem bem às novidades e se esquivam da participação nas decisões, ligue o sinal amarelo. 

Quando estas situações levarem à redução de produtividade, acenda a luz vermelha.

O primeiro passo é fazer um profundo diagnóstico para entender o comportamento das pessoas no ambiente de trabalho. 

Como usar dados para gerenciar pessoas?

Anteriormente já dissemos que a Liderança Criativa também precisa de conhecimento técnico. Nesse caso, podem ser feitas análises a partir dos registros da própria empresa, como folha de pagamento, marcação de ponto, índice de rotatividade, entre outros. 

São dados reais que o líder criativo transforma em informações confiáveis para tomadas de decisões estratégicas. 

Softwares de gestão de ponto, como a Ponto Icarus, são importantes ferramentas de monitoramento, além de permitir a realização de enquetes para avaliação dos gestores. 

Sem dúvida, os colaboradores são o coração da empresa e seu recurso mais valioso. Portanto, é imprescindível saber o que os torna motivados e mais produtivos. 

O passo a passo para implementar a Liderança Criativa

Depois do diagnóstico realizado, inicie o processo de mudança para aplicar a cultura da Liderança Criativa na sua empresa:

Primeiramente, pergunte sempre “o porquê”.

Não aceite frases como “sempre foi assim” ou “para que mudar?” A liderança criativa garimpa ideias diferenciadas, ao mesmo tempo em que pergunta sobre novos os resultados e melhores caminhos para implementá-las. 

Em segundo lugar, teste e aprimore.

Boas ideias no papel não resolvem nada. Coloque-as em prática. A liderança criativa sempre experimenta coisas novas para aperfeiçoar processos e melhorar resultados. 

Verifique se as pessoas estão entendendo.

Comunique-se com clareza. Procure explicar o que é esperado da equipe, transmita feedbacks precisos e promova melhorias não só no processo de comunicação da empresa, mas também dos colaboradores. 

Por último, invista em inovação.

Para transformar novas ideias em melhores resultados é necessário construir e consolidar uma cultura de inovação na empresa, envolvendo todos os níveis hierárquicos. O caminho é capacitação e engajamento.

Liderança Criativa: a porta de entrada para a inovação da sua empresa

Conclusão

Sabemos que a Liderança Criativa surgiu como um diferencial competitivo. Porém, hoje em dia caminha a passos largos para se tornar indispensável, na medida em que novos desafios nos são colocados a todo momento. 

Então, não deixe de utilizar a tecnologia a seu favor. Ferramentas como a Ponto Icarus são importantes para dar suporte, gerenciando o fluxo de trabalho, criando tarefas, distribuí-las para o time e ainda conferir vários tipos de relatórios.

Empresas não orientadas por criatividade e inovação estão em sério risco de serem vencidas pela concorrência.

Deixe um comentário