Foto de três pessoas com maõs sobrepostas, segurando uma imagem de uma folha, com o texto ESG

O que é ESG e qual sua importância para o RH?

O mundo dos negócios vem se revolucionando nas últimas décadas, deixando de importar-se unicamente com a lucratividade e passando a demonstrar preocupação com o meio ambiente e o futuro do nosso planeta.

As empresas estão cada vez mais alinhando seus negócios às práticas sustentáveis e sociais, o que está vinculado ao termo ESG. Esse alinhamento exige mudanças em vários aspectos e setores de uma empresa – inclusive o RH.

Você sabe o que é ESG? E sabe que o setor de Recursos Humanos tem um papel fundamental nessa jornada? 

Pois é isso mesmo, pois o RH apresenta um importante papel na implementação e divulgação das práticas ESG, já que este é o setor responsável pela gestão e desenvolvimento dos funcionários e consegue influenciar a cultura organizacional e os comportamentos da equipe.

Se você busca saber mais sobre o que é ESG e sua relação com o setor de RH leia o post de hoje e fique por dentro desse assunto.

O que é ESG?

A sigla ESG surgiu numa publicação de 2005 no Pacto Global da ONU (Organização das Nações Unidas) em parceria com o Banco Mundial – E – environmental, S – social, G – governance, traduzido para o português significa: meio ambiente, social e governança. 

Esse conceito surgiu para tratar de temas importantes para as empresas e para a sociedade – questões ambientais, sociais e de governança no gerenciamento de ativos, com o objetivo de remodelar comportamentos nocivos do mundo corporativo. 

Então de forma a apontar quais empresas estão alinhadas ou não a essas regras, foram criadas práticas e métricas para avaliar cuidadosamente cada esfera desse conceito. Conheça quais são a seguir.

ESG – práticas e métricas que geram resultados melhores

De acordo com a ONU, empresas que se preocupam em seguir as regras do ESG, conseguem aumentar seu valor de mercado, melhorar o desempenho financeiro, obter mais qualidade na gestão e em seus processos internos.

Mas, para isso elas devem se adequar ao parâmetros abaixo:

  • E (environment) – reflete o posicionamento da empresa sobre a conservação do meio ambiente, suas taxas de emissão de carbono, como é feita a gestão de resíduos, níveis de poluição da água, entre outros;
  • S (social) – aborda o relacionamento do negócio com seus clientes/colaboradores/investidores/parceiros/comunidade… Entre essas práticas consta a proteção de dados e privacidade dos consumidores, a melhoria da satisfação dos funcionários e também a criação e implantação de políticas sociais para a comunidade;
  • G (governance) – avalia a atuação da organização no gerenciamento das práticas administrativas internas, como é conduzida sua conduta corporativa, se há transparência de processos, e como se dá o relacionamento com órgãos governamentais etc.

Mas por que empresas que adotam o ESG têm melhores resultados?

Pois tanto investidores quanto consumidores do mundo todo estão avaliando fatores que excedem apenas o peso da marca, a qualidade do produto oferecido e os lucros e receitas de uma empresa. 

Uma das exigências é que as empresas apresentem boas práticas de ESG, o que leva a  importância dos princípios ESG só a crescer no meio corporativo, de forma que quando um negócio adotar uma política alinhada com essas práticas incorre numa série de impactos positivos para os negócios.

Se você quer saber o papel do RH na implantação do ESG, não pare de ler agora, pois falaremos disso no próximo tópico.

Como o RH pode colocar o ESG em prática?

Além de criar novas ações – que estejam alinhadas às práticas do ESG que falamos logo acima, o setor de RH também pode:

  • Propiciar treinamentos com a equipe de colaboradores;
  • Revisar as políticas internas da empresa;
  • Oferecer vagas que possibilitem contratações variadas;
  • Contratar profissionais de múltiplos perfis – estimulando a diversidade;
  • Estabelecer um programa de recompensas aos colaboradores que adotarem as práticas ESG;
  • Oferecer direcionamento aos funcionários para atuarem como embaixadores e promotores das práticas ESG na empresa;
  • Divulgar seu posicionamento e mostrar as práticas socioambientais implementadas pelas redes sociais e demais meios;
  • Implementar boas práticas de segurança da informação;
  • Estar alinhada com as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD);
  • Utilizar sistemas tecnológicos que substituam as atividades analógicas;
  • Atuar na obtenção de certificações ISO de segurança, GPTW (Great Place to Work) e outros selos ambientais;
  • Promover ações para melhoria da saúde física e mental dos colaboradores;
  • Buscar pessoas que compartilhem os valores de sustentabilidade e responsabilidade social da empresa;
  • Construir uma cultura organizacional mais sustentável e responsável socialmente – fortalecendo o quadro de funcionários;
  • Incentivar a cultura de colaboradores capacitados e conscientes, que contribuam para a criação de soluções inovadoras e criativas;
  • Incentivar e promover a participação dos colaboradores em projetos e iniciativas de sustentabilidade e responsabilidade social, como ações voluntárias, por exemplo;
  • Estabelecer parceria com ONGs sociais e ambientais;
  • Contribuir para o desenvolvimento de habilidades e competências importantes para os colaboradores, como liderança e trabalho em equipe;
  • Elaborar uma nova definição dos valores, crenças, missões, propósitos e metas da empresa com base no ESG.

O RH também pode ajudar a empresa a elaborar um manual de boas práticas ESG, disponibilizando esse material a todos os colaboradores e também sempre que houver novas contratações, assim, todos terão pleno direcionamento para difundir e seguir práticas mais sustentáveis.

Percebe-se então que o setor de Recursos Humanos tem um papel fundamental nesse processo por ser considerado um ponto estratégico do negócio e atuar no desenvolvimento dos colaboradores dentro de uma estratégia ESG das mais diversas maneiras. 

Seu RH pode ser um aliado das práticas ESG

A participação do RH na consolidação das estratégias ESG pode ser determinante, especialmente se houver a colaboração da equipe gestora para que juntos, esses dois segmentos estabeleçam prioridades, objetivos e estratégias que darão start para práticas mais sustentáveis em concomitância com o desenvolvimento pessoal.

Isso porque empresas conectadas a tais conceitos e que buscam evoluir nesse sentido, não somente tendem a apresentar resultados melhores, como revelam um maior potencial de longevidade no meio corporativo.

Isso se reflete inclusive no índice de turnover, pois negócios ESG friendly tendem a atrair os melhores talentos e mantê-los na equipe – o que é objetivo de todo setor RH.

Ou seja, o ESG vem se tornando cada vez mais relevante para empresas que queiram gerar impactos positivos no mundo, de forma a garantir um presente que seja rentável e lucrativo, mas que esteja ao mesmo tempo criando um futuro melhor.

Inscreva-se e receba o nosso melhor conteúdo!

Conteúdos incríveis sobre produtividade, atualizações e ferramentas!

Deixe um comentário

Pressione ESC para fechar